domingo, 11 de outubro de 2015

Escolas no Rio incluem a meliponicultura em suas atividades educacionais

Amigos leitores e meliponicultores para mim é uma satisfação está empenhado para o crescimento da meliponicultura, pois sei que se investimos na meliponicultura como ferramenta fundamental na educação ambiental  nas escolas e no aprendizado de nossas crianças vamos ter um futuro promissor dentro da atividade e na preservação destas espécies como também para o meio ambiente.

É por isso que algumas escolas no Estado do Rio de Janeiro estão tendo esta oportunidade e experiência de ter incluso em suas atividades educacionais a meliponicultura e contam com meliponarios educativos com algumas espécies de abelhas nativas sem ferrão.

Juntamente com o Instituto Moleque Mateiro estamos desenvolvendo este projeto que tem alcançado algumas escolas do Rio de janeiro e vamos se Deus quiser ampliar para o maior número possível de meliponarios educativos em escolas.


Oficina de iscas alunos aprendendo a confecionar iscas para captura.
Cada aluno teve a oportunidade individual de conhecerem passo a passo a confecção das iscas
pet.
Conhecendo os discos de cria das meliponas.
Com as iscas prontas e contentes os alunos  levaram as iscas prontas para suas casas a fim de que seus pais pudessem espalhar as iscas pet com feromonio e cera, isto tem como  objetivo  chamar a atenção da importância da preservação das abelhas nativas sem ferrão como também oferecer a oportunidade dos alunos e os pais de criarem abelhas nativas sem ferrão através da captura em isca pet para polinização das variedades de plantas em suas propriedades.
Alunos conhecendo os discos de cria e sua estrutura.
Crianças conhecendo a colônia de mandaçaia por dentro da caixa ornamental.
Aprendendo a diferença entre os discos de cria novos e maduros.
Alunos aprendendo a história sobre abelhas nativas sem ferrão.
Alunos encantados com a colônia de abelha mandaçaia.
Meliponicultor Christiano mostrando a importância das abelhas nativas para preservação do meio ambiente.